Morar e estudar fora Sobre lugares

5 perguntas diferentes que os indianos costumam fazer

Já começo dizendo que esse post não tem intenção nenhuma de generalizar o comportamento indiano. Apesar do título, tenho noção de que preciso de mais alguns anos para entender o que é a Índia. Contudo, acho necessário – vocês me entenderão – compartilhar as perguntas estranhas/interessantes/diferentes que eu costumo ouvir por aqui. Pode ser uma especificidade do estado que estou, da cidade, ou só coincidência de ter achado diversas pessoas que me fizessem as mesmas perguntas.

1- O que seus pais fazem?

Me assustei um pouco com essa pergunta quando cheguei aqui. É comum que os indianos do estado em que vivo queiram saber o seu background familiar. Só que eles não esperam um contexto apropriado para isso. Eles perguntam na cara dura, não tem muito filtro. Fizeram-me essa pergunta na rua, no primeiro dia do trabalho por todos os co-workers, pelos vizinhos… Basicamente por pessoas que eu tinha zero intimidade até então. E essa pergunta nunca vem sozinha! Segue sempre pelo: “E irmãos? Tem algum?”, “Quantos anos?” – se tiver mais do que 25 anos: “Então já está casado(a)?”. E claro, tudo partindo da premissa que sua família é aquele pacotinho fofo de papai + mamãe + irmãos = família tradicional indiana/brasileira. Se seus pais forem divorciados, preparem-se para as feições de “Poxa, sinto muito.” como se alguém tivesse morrido. Enfim, a família aqui é algo que importa muito e que, segundo eles, diz muito sobre que tipo de pessoa você é/será.

2- De que país você é?

Não tem nada de estranho nessa pergunta, a princípio. O problema é que as pessoas te param no meio da rua aleatoriamente e perguntam isso. O tempo inteiro. Em qualquer lugar. Sem nem mesmo saber seu nome. Sem nunca ter te visto antes. Enquanto você está mastigando. Enquanto você está no banheiro. Não tem regra. Aqui a curiosidade é algo bem natural. Não rola aquele filtro de “será que devo perguntar isso? será que é um momento apropriado?”. Os indianos, principalmente aqui onde estou, não estão acostumados a ver estrangeiros com muita frequência, o que faz a curiosidade dobrar de tamanho. Isso demonstra, segundo eles, que estão interessados em conversar contigo e puxar assunto, mesmo que soe um pouco inconveniente. É só uma tentativa de serem legais com você.

3- Qual o significado do seu nome?

Na Índia, ao contrário do Brasil, a maioria dos nomes tem algum significado por trás. Inclusive, esse é um dos motivos pelos quais me apaixonei por aqui. Provavelmente, se eu tiver filhos, escolherei um nome indiano com um significado legal. Até aprendi a perguntar “Qual o significado do seu nome?” em gujarati, porque sempre me surpreendo com a resposta. Entre os que mais gostei: Vishal – o grande. Manisha – o desejo do seu coração. Pryia – a mais amada. Aru – o primeiro raio do sol. Mônica – a primeira estrela do céu. Kaislash – o lugar de lord Shiva. Vipul – ilimitado. Rakesh – o marido da lua. Dhiraj – paciência. Infelizmente, nomes ocidentais não têm significados legais como os indianos. Então eles ficam meio desapontados quando eu digo que não sei o que Louise significa. Algumas pessoas inclusive pesquisam sobre a posição dos astros no horário do nascimento do bebê para lhe dar um nome apropriado que combine com sua futura personalidade.

4- Quanto você quer pagar?

Isso não é só para qualquer tipo de barganha. Inclusive, até o dia em que fui procurar apartamentos para alugar e eu, naturalmente, perguntei o valor, fui repreendida pelos indianos que me acompanhavam. Aqui, você precisa dizer se gostou ou não do apartamento antes de perguntar o valor. E o mais importante: esse nunca é o valor final. Você tem que barganhar até o ponto que ele te pergunta: Quanto você pode pagar? Só então vocês podem decidir se vão ou não alugar aquele espaço. Ainda não me acostumei com a maneira que eles negociam as coisas por aqui. Mais pra frente posso falar das confusões relacionadas a isso. Ainda tenho muita Índia pra ver.

5- Você não come comida apimentada? Então só come coisa doce?

Essa pergunta pode vir em forma de afirmação também, pode vir com outras palavras, mas tudo isso é só para dizer que muito dos indianos se referem à comida “não picante” como doce. Aqui eles cozinham com temperos e pimenta assim como nós cozinhamos com sal. Pedir algo non spicy aqui é o mesmo que pedir um arroz sem sal em um restaurante brasileiro. Não faz nenhum sentido. Ainda não tive tempo para averiguar se é assim por toda a Índia, mas aqui em Ahmedabad já escutei esse tipo de pergunta algumas vezes.

No começo, eu ria muito de tudo que era diferente. O choque cultural é sim muito grande. Tudo aqui é diferente do Brasil! Para se adaptar, é necessário entender o porquê de certos comportamentos. Quando a gente entende o outro, fica bem mais fácil de nos identificarmos como similares. Então, se pretende fazer uma viagem para a Índia, venha de mente e coração abertos. Prepare-se para construir do início tudo que você entende como verdade. Prepare-se para questionar seus próprios comportamentos. Prepare-se para nunca mais voltar o mesmo.

 

(A foto escolhida para ilustrar o post foi tirada pela minha flatmate e co-worker Bella Johnston)

 

4 thoughts on “5 perguntas diferentes que os indianos costumam fazer”

  1. Já está decidido. O nome da irmã da Ana Carolina será Pryia! Tô amando os posts! Falando em amar… Amei poder escolher o preço que pagarei pelo meu apartamento, e com isso me veio uma grande dúvida a respeito da economia indiana! Podia falar sobre isso também! 😉

  2. Tudo lindo, estou amando ler, a diversidade e as diferenças me fazem querer conhecer a Índia ainda mais. Amando tudo! Obrigada por compartilhar suas percepções e vivências de uma forma tão maravilhosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *